quarta-feira, 28 de julho de 2010

Eindhoven and Amsterdam
















Passar pela Holanda logo após a copa foi uma experiência meio que diferente. Amsterdam e Eindhoven respiravam a copa ainda (ainda tinha os telões armados nas praças, bandeiras e cachecóis pendurados pelas cidades), de uma maneira triste mas também muito positiva. No dia que cheguei os jornais exaltavam seus “heróis” que tinham desfilado em (carro aberto)- na verdade em barco aberto pelos canais de Amsterdam.

Mas o mais importante pra mim não era a copa, Brasil caiu e pronto, já era. Tava mesmo preocupado com meus couch, em Eindhoven, a guria que tratou comigo de me hospedar me tapou de conversa, não me respondia meus emails nem nada, sumiu. Ai fudeu né. Iria posar em Eindhoven naquele dia e ir para Amsterdam no dia seguinte, acabei tendo que ir naquele mesmo dia para Amsterdam, começando mal o mochilão, sem hostel, e sabendo que era dificil achar uma vaga a um preço razoável por lá.

Acabei conhecendo Eindhoven em apenas algumas horas, nada demais por lá, o PSV, estação de trem, algumas igrejas e uns monumentos pelo centro e já era Eindhoven, realmente uma cidade bem pequena.Tava mesmo no clima de Amsterdam.

De Eindhoven a Amsterdam já tinha me falado que iria marchar com uns 23€ no trem, porém quando fui comprar na máquina o bilhete, coloquei a opção para estudante e a passagem saiu por 10,50€, muito mais baixo não é? Pois é, mas não poderia ter comprado esse bilhete, isso é somente para estudantes da Holanda e não se estende a outros. Pois é, quando apareceu a fiscal para validar o bilhete (uma –nem gringa,nem alemã- uma brancona, de uns dois metros, as panturras mais larga que as minha), começou a falar em holandes comigo, me fiz um pouco de loco e disse em inglês que não sabiaque não podia, aquela coisa sabe, tu sabe que ta errado mas tenta discutir um pouco. Pois é, final da história ela me disse que teria que pagar uma inteira novamente, ou seja, mais 23€ na mão dela, ali, morto…. Negativo querida!!!negativo mesmo, a culpa é das máquinas que só colocam a opção para estudante e não exemplificam de que lado tem que ser. Ela batia boca de um lado, eu de outro, acabou que não precisei pagar mais nada. (quem não choro né querido), mas ela me fez levantar e agradecer a todos que estavam no vagão, por eu ter pagado mais barato. THANK YOU FOR THE PEOPLE….Fiz pra não me encomodar, mas quem estava errada era a máquina.hehehehe

Chegando em Amsterdam, não sabia nem pra que lado iria, tinha uma noção de onde ficava a estação e pra que lado era a cidade. Aliás isso foi uma coisa meio negativa nesse mochilão, não me preparei da forma correta, sem roteiro, sem endereços e telefones, ratiei nesse ponto, tive que correr atrás. Pois chegando por lá, fui direto procurar um hostel, ainda tinha sol por lá, E uma coisa interessante por lá é que os Hostel são semelhante a Londres, em Pubs. Então já viu né, beberagem total.

Depois de rodar alguns hostel e nada, a mochila já pesando e a preocupação batendo, eis que encontro um meio perdido por lá, na administração de uns chinês loco, me faquearam em 30€ uma noite. Dessa vez não tive escolha, tive que pagar ( há e era um pub e com uma parte especial somente para fumantes) CALMA QUE JÁ, JÁ O PESSOAL ENTENDE.EHEH

Pois é, de vereda já sai andar pela cidade, impressionante o fedor de maconha que tem a cidade, por lá a maconha é liberada e permitida somente dentro das CoffeShops e que não podem vender álcool, só maconha. Mas toda regra é um impulso para ilegalidade, tu ve todo mundo fumando pelas ruas, livre, sem problemas, polícia passa e capaz de fumar um também ao invés de fiscalizar. Isso é outra coisa interessante, não são somente jovens fumando, são pessoas mais velhas, alguns idosos também. Muito loco Amsterdam. Ah e as cervejas, maioria delas acima dos 8% de álcool.

Outra coisa muito diferente em Amsterdam é o Red Light, o famoso bairro da prostituição (que acredito também ser liberada-permitida) por lá, não mais que umas quatro quadras dos canais de Amsterdam, as casas são dividivas em diversas partes, e tem um porta de vidro onde as gurias se mostram e negociam preço. O mais estranho de tudo é que por lá só da turista, então pela noite a galera passa para conhecer, elas abanam para as crianças, mandam beijos para as esposas e negociam co os maridos. Muito loco, sem contar que estão quase peladas e se acaso “se empregarem” só fecham a cortina.

Além da maconha e as prostituta, Amsterdam também tem a Heineken. Por lá tem a fábrica por onde é possível fazer um tour, a HEINEKEN EXPERIENCE por 15€ (mas se consegue desconto de 3€ nos guias da cidade) com direito a 3copos de cerveja. Claro que fui e burlei algumas filas e escadas e acabei tomando 5 copos, inclusive um ta na mochila.heheh

No último dia resolvi ir aos arredores de Amsterdam, em um bairro chamado Zansse Schans, onde estão os famosos moinhos da Holanda, muito ainda em funcionamento e fabricando algo, outros somente para turista ver. Muito lindo esse bairro, casas de cinema, canais e muitos animais. (as vacas são iguais as ali da Vila Branca, nada de especial não)hehehe.

Bicicletas e barcos são os meios de transporte mais utilizados por lá, tu tem que andar esperto pelas calçadas, se não de-lhe buzina de bicicleta, são muitas mesmo. E os barcos acho que cada família deva ter o seu.

Também tive que ir no estádio do Ajax né, meio que de mal gosto mas fui. Gigantesco, em uma espécie de parque onde se tem de tudo. Mas tomara que caia aquela bichera, afunde esse time.Fia da puuuuu. hehehe

De Amsterdam era isso galera.

Próximo post Bruxelas e Brugge.

Nenhum comentário: