sexta-feira, 31 de julho de 2009

Pearl Jam - Backspacer Artwork



Recordo muito bem, era meados de 1999, eu com meus 15 anos, nem tinha internet ainda, meu negócio era fita cassete, que enrolava, estragava tudo as músicas. Uma tristeza só. Som com cd era poucos que tinham (pelo menos nós não tinha ainda). Mas, recordo que economizei um bom tempo para chegar até a Komplementus e seu Chico Espenose (metido a roqueiro, "Esse som é da massa magrão. Uhhuuh" - dizia ele... Hoje seu Chico só canta nativista.). Pois bem, dinheiro na mão, foi eu lá para Komplementus, ansiado, nervoso se ainda iria encontrar o cd que queria, que tinha economizado para adquirí-lo, recordo-me o preço ( R$ 25.00), bah, em 99 nego, aquilo era uma grana, para comprar um cd...bah, tinha que realmente valer a pena. Era meu 2º cd, o primeiro também foi um obra (Back in Black -AC/DC), mas esse era um pouquinho diferente, tinha o design da capinha digipack, uma arte bacana, livrinho, era uma obra. Há tempos que passava por lá e namorava aquele cd, não tinha nada pra fazer, ia la escutar, conversar fiado com o Espenose, mas somente para escutar o cd.
Meu 2º cd foi Yield - Pearl Jam, uma obra tanto em sua parte musical como na arte, apartir dali, PJ se tornou a banda da minha vida. A cada disco novo, era uma ansiedade tremenda, buscando as músicas vazadas antes dos lançamentos, mas muito em função da arte, como diz o cumpadre: -"Abrir o encarte, ler e analisar as letras". E a banda sempre surpreendendo com cada novo disco, confesso que as músicas passavam por segundo plano por vezes (pra mim a qualidade real está ao vivo), a criatividade sempre foi uma marca da banda e isso sempre esteve estampado na arte da banda, nos Cds, Lps, Bootlegs, Posters etc... Ontem foi divulgado a artwork do novo álbum Backspacer, previsto para setembro, a promessa é novamente de uma grande obra de arte, algumas músicas já vazaram porém não me empolgaram muito quanto essa capa. Aguardamos e veremos. Ah e desta vez não vai ter como comprar com o Espenose.hehehe

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Verona Italy











VOLTA: Quando voltei da Suécia, tambem passei mais um dia em Milão, era domingo, verão europeu, muito quente, aproveitei para pegar um trem e ir a Verona, uns 200km dali, já tava meio cansadão de viajar( quase 20 dias de mochilão), mas era uma oportunidade única e não podia perder,iria a Veneza (450km) mas acabei acordando tarde e fui a Verona. Que é uma cidade pequena e encantadora, com destaque a Arena di Verona e a casa de Julieta ( os dois principais pontos turísticos).
Já não tinha a mochila com seus 12,5kg nas costas, então foi de boa por lá, tudo a pé, da estação de trem ao centro é uns 10 minutos de caminhada. Para entrar na arena 6€, por mais turista que era ( e sabia que talvez fosse uma única vez por lá) não tive coragem de pagar, tentei desdobrar o bilheteiro para pagar meia de estudante, mas não tinha nada que comprovasse, então não entrei. Depois meio que me arrependi. Lembrei muito da mãe e da Cá, quando passaram por lá, sempre quis conhecer. Seguindo passei pela casa de Julieta, que por sinal é muito mais conhecida que a de Romeu, por lá muita gente pegando no seio da estátua, e eu solito pedi pra um cabeçinha lá tirar um foto minha segurando no seio dela.hehehe, que por sinal já ta lustrado de tanto pegarem. Depois acabei sabendo que há muito tempo atrás alguém saiu com essa história de que quem tocar no seio dela terá felicidade no amor para sempre. Aproveitei para aumentar ainda mais minha felicidade né. Nossa felicidade nega. Sempre. Apenas não achei os recados amorosos que os turistas deixam por lá. Mas reparei que em toda a cidade existem cadeados perdidos em qualquer lugar que não possa ser retirado, em ferros das pontes, postes, grades dos pontos turisticos.
Pão duro é pão duro mesmo né, chegando almoço não tive coragem de almoçar em restaurante, busquei um mercadinho por lá e da-lhe sandubão - Pão com queijo e prosciuto milanes ( comida oficial do mochileiro, mas tem que ser do mercado e preparado na praça) mais uma Moretti morna.(que acabei me acostumando).
Pela tarde, continuava caminhando e conhecendo por lá, muitos turistas pelas ruas e como agora é liquidação por aqui, as lojas tudo lotadas. Mas valeu, Verona é linda. Lembrarei sempre desta cidade.

Prague - Czech Republic














Há um bom tempo queria conhecer Praga, desde que vi a Charles Bridge em uma reportagem, sempre quis conhecer essa cidade, porém muitas outras coisas me fizeram "alongar" o mochilão e estar em Praga. Mas as coisas começaram meio mal por lá, como disse no post de Berlim, acabei chegando em Praga um dia antes do previsto e sem lugar pra ficar (meu couching furou dois dias antes), e ai?fazer o que?...Bem, sai de Berlim de busão, em torno de umas 4hs tava em Praga, cheguei já com chuva e tempo frio. E agora José?? Pois bem, esperei o que deu a chuva passar e me larguei para o centro, sem mapa, sem roteiro, somente com alguns nomes e endereços de alguns Hostel que tinha visto no dia anterior. O problema foi exatamente esse. Nomes!!! Quem sabe pega a Nábřeží Kapitána Jaroše até o final, depois dobra na V Holešovičkách e vai ate a rótula e segue pela Rohanské nábřeží. Barbada, não? Mas aos pouco meu cérebro foi assimilando os acentos loucos e fora da nossa realidade e me achei por lá. Por lá a moeda local são as Coroas Tchecas (CZK), para ter noção 10€=255CZK, não tinha um puto CZK e fui achar um câmbio por lá, ai foi um problema, se aproveitam de turistas nesse momento, troquei apenas 20€ o que m rendeu 298CZK!!! Me lograram lindo nessa conversão, tentei chorar em inglês, mas ai se fazem de loco e que não entendem.. Dessa vez passou. Já era noite e a chuva no lombo e ainda não tinha achado um hostel, até que encontrei um bem central, barato, mas meio chinelo. detalhe, 14 beliches no quarto!!!! E lotado.
Isso é uma coisa legal em Praga, a cidade está sempre cheia de turistas, cheia mesmo, dos lugares que visitei foi onde mais tinha turistas, locura naquelas ruazinhas. Já mais tranquilo no hostel, próximo passo era achar a original Budweiser, para quem não sabe a Bud americana copiou o nome da Tcheca e há uns tempos atrás foi condenada a retirar o nome, mas enfim, a Budweiser original é Tcheca. E expetacularmente boa, baita cerveja. Fui aproveitando para conhecer tudo em Praga, a Charles Bridge, o Astronomical Clock, as famosas ruas e pontes por lá.
Os dias se passaram por lá, dias de turista solitário, essa é a parte ruim de viajar solito, saudades, não ter quem tire as fotos,hehehe. Mas valeu, Praga é muito linda, foi uma experiência única e que valeu todos os impecilhos das viagens. Ao final ja estava meio cansado de Praga, não aguentava mais passar pelos mesmos pontos. e pra variar uma noite no aeroporto e me larguei novamente para Milão. Depois ainda passaria por Madrid e ai sim voltaria para o Porto. Era isso de Praga, abraço.
Próximo post Verona-Italy.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Berlin - Germany




Buenas gurizada, Berlim então... Já saindo de Estocolmo (meio cagado de ter que voar), na fila do check-in da Ryanair, vejo ao meu lado um cara com um passaporte conhecido na mão...aquele verdinho sabe??heheh, o cara era brasuca, acabei esquecendo o nome do cara, só recordo que era mineiro e mora em Berlim, acabamos vindo juntos no voo e o cara me largou todas as barbadas de Berlim, os S-Bahn (metro) e os busão por lá, as famosas cervejas da Alemanha, bah o cara tri gente boa. Chegando por Berlim, era em torno de 19hs, já meio preocupado em encontar meu couching por lá - Tiago, gaúcho de POA, faz intercâmbio por lá, acabei chegando meio tarde ma casa do cara, um pouco complicado pedir informação, ver as ruas, mas acabei chegando por lá. Cheguei e de vereda um chimarrão me esperando, apesar do pouco espaço e do complicado sistema dos prédios de Berlim, foi muito tranquilo por lá. Mas tudo em Berlim lembra guerra, minha primeira impressão fois essa, por toda cidade tu ve alguns pedaços do muro, algumas placas e painéis sobre a guerra, além da arquitetura da cidade estar demonstrando esse triste período da história. Mas tem seu lado turístico em cima disso, em quase todos pontos importantes da cidade existe uma galera "fantasiada" de militares, carimbando passaportes, tirando fotos históricas e vendendo pedaços de pedra que dizem ser um pedaço do muro. É impossível não estar em Berlim e não refletir, imaginar o período da 2ª grande guerra, no Check Point Charlie (era uma espécie de divisão entre as forças aliadas (EUA-GBR-URSS) e as forças alemâs (ALE-ITA-JAP), por lá ainda existe a casinha que controla a entrada e saída e onde rolava a maior tensão naquela época. Por ali, lembro de ver uma antiga imagem em um painel, essa imagam mostrava as duas forças alinhadas, com inúmeras tanques de guerra, olhava para a imagem e olhava para o check point, um grande arrepio correu a espinha, realmente, foi o momento que mais fiquei imaginando a guerra que por ali aconteceu. Também lembro da Kaiser-Wilelm-Gedachtniskirche a igreja que foi destuída durante a guerra e que agora é mantida como memorial da guerra. Olhando pra ela é inevitável não imaginar a guerra. Pois é, em um dia vi muita coisa por Berlim, andava meio preocupado porque não tinha visto minha passagem para Praga ainda, lembro que quando pesquisei poderia comprar na hora e iria a meia noite do 2º dia em Berlim, mas acabou que me apavorei com a possibilidade de não ter busão para Praga e acabei indo para estação bem mais cedo que o planejado, ou seja, um dia a mais em Praga, coisa que não estava em meus planos, até porque meu couching tinha furado comigo...Uma parte interessante em Berlim foi o mercado, cheguei no mercado pra comprar algo para a janta e uma cerveja né, foi meio dificil de achar a prateleira das cervejas, mas também quando achei...que horror!!! uns 50metros só de cervejas, em torno de 80 marcas, quse que fiquei por ali.
Próximo post, Prague -Czech Republic.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Gävle Sweden




















Gävle, cidadezinha agradável, na costa leste da Suécia, com cerca de 50 mil habitantes (não parecia tudo isso), era o objetivo principal de meu mochilão. Por lá iria rolar o ISAPA 2009, o maior evento da Atividade Motora Adaptada, um evento que acontece de 2 em 2 anos, sempre em um local diferente do mundo.

Pois bem, foram 11 grandes dias de ISAPA, os voluntários chegaram antes para a organização do evento, 30 voluntários do mundo todo, que no final só foram 26. Porém grandes pessoas, grandes amigos que fiz durante estes dias, que ficarão pra sempre em meu coração. Já no primeiro dia fomos a uma "grande" festa local, o MidSummer, porém acabamos chegando meio atrasado e e chegamos já no final das danças tradicionais da Suécia, uma pena. Mas este dia rendeu grandes fotos. Tudo começando, era meio difícil decorar os nomes de todos, até porque cada nome...ta loco. Kwok, Ya-hou, Mirjana, Dhaara, Hamidou, Mathieu, Hyungmin, Chiu-Chiau,hehehe, cada nome loco..Mas logo todos já se conheciamos, todos se ajudando e fazendo o evento andar.
Por lá, obviamente a saudade era imensa, e o babico aqui não levou o note né, me arrependi loqueado de nao ter levado, afinal, para que fizeram um computador portátil???se não for para carregar com mais facilidade, nao, te conta tche...mas logo a comunicação com a família melhorou, por pensamento, sinal de fumaça, garrafas no mar.heheh
Nessa galera de voluntários, até uma hermana por lá, coisa mais triste foi ter que tomar mate em uma cuia do Boca, bah, quase me recusei, mas uma hermana muito gente boa, nem parecia argentina.heheh
Os dias foram se passando, o evento em andamento e grandes amizades se formando, por agora todos mantemos contatos, até um facebook tive que crir por lá, essa galera foi show e com certeza nos encontraremos em próximos eventos da área. Também muitos brasucas por aquelas bandas, onde que não tem brasileiro???
Bem não ando muito inspirado para escrever ultimamente. Próximo Post: Berlim - Alemanha.